Black Friday: as vezes a maior economia é não comprar

Black Friday é uma das principais datas de vendas dos Estados Unidos, realizada logo após o feriado de Ação de Graças comemorado sempre na quarta quinta feira de todo mês de novembro. O nome Black Friday não surgiu para batizar este grande evento de liquidações, foi dado por policiais da Filadélfia que não possuíam descanso na sexta feira após o feriado de Ações de Graças, já que a cidade era invadida por turistas e carros de todos os lugares do país buscando assistir um tradicional jogo de Futebol americano que acontecia todos os anos nesta cidade americana do estado da Pensilvânia. Os lojistas da Filadélfia aproveitavam este evento para promover liquidações e atrair vendas extras destes milhares de consumidores que visitavam a cidade nesta época.

Foi apenas por volta dos anos 1980 que a Black Friday se popularizou nos Estados Unidos, tornando-se a maior data de vendas do varejo americano a partir de 2001. No Brasil a Black Friday chegou em 2010, reunindo 50 varejistas nacionais para promover o comércio online, e a partir daí entrou definitivamente no calendário promocional do varejo brasileiro, sendo uma data esperada pelos consumidores para conseguirem comprar com descontos.

Nem sempre a expectativa de obter vantagens reais na compra de produtos na Black Friday brasileira são atendidas, desde seus primeiros anos muitos varejistas aumentam seus preços antes da data promocional para anunciarem descontos de até 80%, fazendo surgir a expressão “Black Fraude": tudo pela metade do dobro”.

O PROCON de São Paulo possui um vídeo explicativo para o consumidor se proteger na hora de fazer as compras e uma lista de sites não recomendados, vale a pena assistir antes de sair comprando em qualquer lugar.

E como tudo na vida, use o bom senso antes de decidir a comprar na Black Friday. Preparamos algumas dicas para colaborar com sua escolha de comprar ou não na Black Friday deste próximo dia 26 de novembro:

  1. Planeje suas compras, liste seus desejos, mas avalie se realmente é necessário comprar o produto desejado, nem sempre aproveitar preços menores é justificativa para comprar novos itens;
  2. Avalie sua capacidade de endividamento, por menores que sejam os preços hoje, se as parcelas não cabem no seu orçamento mensal elas podem representar valores altos com juros e multas, principalmente se a dívida for contratada em cartão de crédito;
  3. Pesquise a loja onde fará as compras, tenha certeza de que é confiável e realiza as entregas dos produtos vendidos com prazos aceitáveis, infelizmente a fraude não acontece apenas com falsas ofertas de preços de liquidação, é normal golpistas atuarem nesta época para enganar os consumidores colocando páginas falsas roubar seus dados pessoais;
  4. Confira se as ofertas realmente apresentam preços menores, e denuncie ao PROCON de sua região qualquer oferta suspeita, a melhor maneira de se proteger e proteger outros consumidores é colaborar para que casos duvidosos sejam investigados e divulgados a todos;
  5. E por fim, faça escolhas de consumo realmente conscientes, analise todos os impactos de suas decisões de compra e avalie também suas escolhas de descarte dos itens usados, seus itens antigos ainda podem ser reaproveitados para uso por outras pessoas ou devem ser reciclados de maneira correta, não podemos permitir nenhum desperdício de dinheiro e de recursos naturais.

A Black Friday pode ser uma boa oportunidade de economizar, use esta data promocional com sabedoria, lembre-se que o poder de escolha é seu, não compre apenas por impulso ou pela promessa de preços baixos.

EcoTomorrow

Compartilhar

Post anterior Posts Novos