O que faz um produto ser natural, além dos ingredientes, é o seu processo - da natureza até a embalagem

Boa notícia! Nossos produtos são 100% naturais! Mas o que isso quer dizer? O petróleo é 100% natural! Os minerais são também. O CO2 também é! Então o que é um produto natural? Entendemos que ser natural é um conjunto de circunstâncias. O petróleo é natural, mas refinamos ele, o transformamos em milhões de moléculas e as combinamos entre si, produzindo um infinito número de novos produtos. Isso tudo vai criando uma distância entre o produto “in natura” de um produto sintetizado, por conta desses diversos processos.

Mas qual é o problema?
Veja o corpo humano: é sem dúvida alguma uma fábrica química, onde alteramos moléculas, sintetizamos novas estruturas e produzimos a todo instante, inúmeras reações químicas – somos seres químicos, até nossos sentimentos são químicos.

E o que usamos para limpar, perfumar, hidratar, perfumar, tratar, curar, e etc.? Tudo é química! O universo é químico. Então o que é ser natural?

No caso dos alimentos, é a quantidade de transformações e o que essas transformações agregam ou retiram da substância inicial mais natural. Por exemplo, o leite: se você beber o leite tirado da vaca ele é o produto “in natura”; mas se você pasteuriza, ele já sofre uma alteração pequena e aquecido a 140 graus, ele sofre ainda mais alterações, porém ainda é leite.

Podemos ainda transformar o produto em pó, usar seu soro, sua lactose, enfim, dividimos seus componentes e usamos para diversos fins.

Assim entendemos que ser natural é quando não temos nenhum processo ou quando temos poucos processos envolvendo a substância. Mais perto de natural quer dizer que está mais próximo de seu estado natural, que veio diretamente da natureza e que então não sofreu alterações. Quão natural é um produto sempre varia.

No caso do nosso antisséptico usamos álcool etílico neutro, que é feito de:

1. Moagem da cana que é um processo mecânico;
2. Produção de melaço;
3. Fermentação do melaço;
4. Destilação do mosto fermentado.

Consideramos o produto natural pois a partir de um vegetal altamente sustentável, criamos um açúcar que é fermentado, destilado e depois filtrado.

Usamos a glicerina vegetal bidestilada, que é um produto feito a partir de um óleo vegetal que sofreu pouca transformação (fruto esmagado e prensado extraindo o óleo), sendo que para termos um produto puro para uso na pele o mesmo é 2x destilado. O produto é sustentável e não polui o meio ambiente na sua fabricação, além de ser extremamente seguro para a pele.

E por fim usamos óleos essenciais naturais!

Portanto, temos que levar em conta no conjunto de criação dos produtos:
a) Origem da substância original
b) Número de processos em cada substância
c) Sustentabilidade da substância original e dos processos
d) Sua segurança para os humanos

Compartilhar

Post anterior Posts Novos